Rede Pernambucana de Municípios Saudáveis

 

 

 

Resultado do projeto Municípios Saudáveis no Nordeste do Brasil, a Rede Pernambucana de Municípios Saudáveis é uma iniciativa da Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco (Condepe/Fidem), em parceria com o Núcleo de Saúde Pública e Desenvolvimento Social da Universidade Federal de Pernambuco (NUSP/UFPE). Trata-se de uma associação de municípios que apoiam a divulgação, implementação e desenvolvimento de ações do programa, assumindo a promoção da saúde como prioridade da agenda da política pública.

 

As atividades da Rede são baseadas no Movimento Internacional de Municípios Saudáveis, que vem sendo discutido desde os anos 70 e que ganhou força na Europa e América do Norte a partir de meados da década seguinte. A filosofia propõe promover uma interação direta entre os diversos atores sociais, abrindo espaço para a ação conjunta e integrada da população com o setor público. O objetivo é de melhorar a qualidade de vida e assegurar a sustentabilidade local.

 

Em Pernambuco, a Rede Pernambucana de Municípios Saudáveis foi iniciada em 2003 em cinco municípios piloto todos situados na Região Agreste Central : Barra de Guabiraba, Camocim de São Félix, Bonito, São Joaquim do Monte e Sairé, que tornarem-se pioneiros, abrigando os primeiros passos do projeto inovador. O princípio era a Promoção de Saúde, com foco prioritário no desenvolvimento do Capital Social.Hoje já somam 24 cidades espalhadas em sete Regiões de Desenvolvimento do estado.

 

Houve uma nova configuração do projeto, transformando em Rede, que já realizou diversos encontros e seminários e viabilizou a publicação de vários livros do conhecimento de diversos especialistas colaboradores, assim como o registro de ações de municípios participantes na construção de políticas públicas saudáveis. Também são realizados encontros anuais, já inseridos no calendário do projeo, com a participação de diversos atores, que permite a troca de conhecimentos intersetoriais.

 

Outro ponto importante nesta ação é o intercâmbio Brasil-Japão. Os cooperantes nipônicos (com larga experiência na questão) têm participação em diversos momentos, seja de formação, de identificação de potencialidades ou de planejamento das atividades. Já a gestão pública municipal coube o compromisso de mobilizar a população para participar de oficinas, encontros e seminários, disponibilizar espaço e dar condições logísticas para a realizção dos eventos e enviar os representantes para participar de cursos de Promotores de Municípios Saudáveis, a cargo do Nusp.

 

A força da Rede Pernambucana, inclusive,  tem repercutido inclusive internacionalmente, com a formação de grupos de promotores de municípios saudáveis de diversos países da América Latina e da África.

 

 

O município interessado em participar do projeto deve entrar em contato com a Agência Condepe/Fidem.