Programa Minha Casa, Minha Vida


Lançado em março de 2009, o Programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal, tem como objetivo promover a produção e aquisição de novas unidades habitacionais em todo país para famílias com renda mensal de zero a dez salários mínimos, além de gerar emprego e renda por meio do aumento do investimento na construção civil. 

Em sua primeira fase, contratou mais de um milhão de moradias com cerca de R$ 34 bilhões em investimentos oriundos do Orçamento Geral da União e do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Na segunda etapa, a meta é construir 2.4 milhões de moradias até 2014.

Para Pernambuco foram destinadas 45.510 novas habitações, sendo 18.773 pelo Governo do Estado atende prioritariamente a faixa 1 com renda de até R$ 1.6 mil. O número de casas foi distribuído de acordo com os dados do IBGE sobre o déficit no estadual que é de 263.958 moradias, sendo 125.254 na Região Metropolitana do Recife.

 

Minha Casa, Minha Vida até 50 mil habitantes 

Nessa modalidade o programa beneficia municípios com população de até 50 mil habitantes. Na primeira fase foram contratadas 2.748 em 72 municípios pernambucanos, com um investimento de mais de R$ 41 milhões.

A segunda oferta pública de habitação para  cidades com até 50 mil habitantes irá beneficiar 2.582 municípios com a contratação de 107.348 unidades habitacionais em todo o país. Em Pernambuco, foram contemplados 108 municípios para a edificação de 4.750 novas moradias. 

A meta do governo federal é construir 220 mil habitações até 2014 com subsídio de R$ 25 mil por unidade, num total de R$ 2,8 bilhões em investimentos. Pernambuco terá acesso à cerca de R$ 119 milhões para a contratação dos imóveis que serão construídos em terrenos cedidos pelas prefeituras.

Minha Casa, Minha Vida (Urbano/Chamada Pública)

Nas grande cidades a construção de moradias pelo Programa Minha Casa, Minha Vida, acontece através das chamadas públicas que pré-qualificam construtoras para a apresentação de projetos de empreendimentos habitacionais. Em Pernambuco, mais de quatro mil casas devem ser contratadas em 2012 por essa modalidade com investimentos de aproximadamente R$ 255 milhões.